segunda-feira, 16 de julho de 2012

Silêncio


          A vida é um sopro de vela
          é a cera queimando
          é pavio em vapor

          A vida é um beijo que seca
          é um abraço que aquece
          quem já descansou

          E, quando a vela se apaga,
          não há mais remédio
          nem frio nem calor;
          somente o amargo que sobra
          o sumo do amargo
          que, às vezes, transborda,
          rente à boca acesa
          de alguém que ficou

          tostando
          de chama e remorso
          ardendo no escuro
          dos olhos molhados
          com o gosto de nunca
          se vê perdoado 
          porque já é tarde,
          e a tarde calou.
                                                                   
          Hugo César

12 comentários:

  1. Muito forte Hugão!!! Parabéns novamente. Muito lindo!

    ResponderExcluir
  2. Muito massa, belas palavras amigo, e tbm uma bela reflexão sobre a vida

    ResponderExcluir
  3. Amei Hugo César!! muito bom..esse poema soou da forma mais doce possível pra mim...cheio de emoção..belo..parabéns
    Márcia

    ResponderExcluir
  4. Bastante tocante esses versos, rapaz!!!!

    ResponderExcluir
  5. LINDA POESIA HUGO, A SENSIBILIDADE DE MANUSEAR AS PALAVRAS, É QUE TORNA GRANDE O POETA, E VOCÊ TEM ESTA SENSIBILIDADE, APRABÉNS!!!!!!

    ResponderExcluir
  6. muito bom hugão, show de bola otima poesia abraços wesley cavalcante

    ResponderExcluir
  7. A vida. Palavra simples pra o tanto do significados que carrega né?

    A vida é parar pra ver, silenciar e entender, agir, arrepender, compreender. A vida é um câncer que nasce.

    Olhe o cancer, faça o que pode por ele, ao menos sinta remorso. Se nada restar além de um abrupto arrebatamento fume ao menos um cigarro. "estou no inferno, beijarei o Diabo".


    é bom postar as coisas como anônimo...bela poesia!

    ResponderExcluir
  8. arrasou de novo, meu amigo.
    tá na hora de começrar a musicar estas coisas.

    que belo!

    ResponderExcluir
  9. a vida é essa constante dança de células e aceleração da música...parabéns pelo seu trabalho

    ResponderExcluir